MATÃO

MATÃO



MATÃO



MATÃO



MATÃO



MATÃO - Sete Barras




Memorial

MATÃO
MATÃO
Sete Barras

Prefeitura Municipal de Matão

Rua Orestes Bozelli, 1165
CEP: 15990-240
Fone: (16) 3383-4077
Email: prefeitura@matao.sp.gov.br
Site: www.matao.sp.gov.br

 

 

 

HISTÓRICO

 

A ORIGEM
A partir de 1880, inúmeras pessoas vindas de municípios vizinhos, adquiriram terras na região, onde mais tarde se ergueria o ARRAIAL DO SENHOR BOM JESUS DAS PALMEIRAS, e mais tarde, Matão, e antes denominado Campo de Água Vermelha, ao senhor José Innocêncio da Costa, o qual residia numa choupana situada próxima do córrego que atualmente separa a cidade da Vila Santa Cruz. Em 1892, já tinham se estabelecido na zona, formando fazendas de café, os senhores: Ismael da Silveira Leite e seus irmãos,Theófilo Francisco e Sérgio, Amador Pires Corrêa, José de Arruda Campos, Antônio da Silva Coelho, José Brochado Corrêa, Leão Pio Freitas, João Bellintani, Joaquim Gabriel de Carvalho, Theófilo Dias de Toledo e seu irmão Matheus Malzoni e seus irmãos Núncio e Domingos e Augusto dos Santos.

FUNDAÇÃO DA VILA DO SENHOR BOM JESUS DAS PALMEIRAS
Em vista da salubridade do local e objetivando dar mais conforto aos seus moradores, nasceu à ideia da fundação de uma Vila, tanto assim, que em 13 de fevereiro de 1892, houve uma reunião para tal fim, da qual foi lavrada uma Ata, que vai em seguida transcrita, por ser o único documento oficial a respeito do assunto:
Transcrição da Ata de Fundação:
Aos treze dias do mês de fevereiro de mil oitocentos e noventa e dois, em casa do Coronel João de Almeida Leite Moraes, às cinco horas da tarde, achando-se reunidos os abaixo-assinados, foi convidado o Dr. Américo Franklin de Menezes Dória (Então Juiz de Direito da Comarca de Araraquara), para presidir e expor os fins da reunião, o qual convidou para seus secretários os cidadãos Theófilo Dias de Toledo e Leão Pio de Freitas. Aberto a sessão, o presidente mostrando as grandes vantagens que havia na criação de uma capela e um cemitério, início de uma futura povoação, no florescente bairro do Matão, realizou, neste ato, a eleição de uma Diretoria e diversas Comissões, a fim de angariarem donativos, para o fim acima indicado. Para a Comissão Diretora foram aclamados o Coronel João de Almeida Leite Moraes e Theófilo Dias de Toledo. Para as outras Comissões foram eleitos os senhores, Leão Pio de Freitas, Antônio Dutra da Costa e João Bellintani como representantes do Bairro denominado Matão, Joaquim Corrêa de Freitas, Francisco Leandro de Abreu e José Martins de Lara dos Cocais da Dobrada, José Arruda Campos, Ismael da Silveira Leite e Joaquim Pio da primeira sessão da Fazendinha, Gilberto Pedro Franco, Antônio Felizardo e Augusto dos Santos, da segunda sessão da mesma sesmaria, Joaquim Martins de Lara, Carlos Baptista de Malheiros e Antônio da Silva e Antônio Emiliano da Posse, Dr. Ernesto Prado da Estiva, Avelino Pinto Ferraz, Dr. Júlio Cezar de Moraes Baguassú e João Schewench do Cambuhy. Foi autorizada a Comissão Diretora a convidar a todas as pessoas interessadas pela prosperidade e desenvolvimento do lugar, que estiverem em condições, a edificarem prédios, nos terrenos concedidos no patrimônio da futura Capela. Eu,Secretário que a escrevi e a subscrevo: (seguem as assinaturas):- Theófilo Dias de Toledo, Dr. Américo Franklin de Menezes Dória, Leão Pio de Freitas, João de Almeida de Moraes, Antônio Machado de Campos Barros, Antônio da Silva Coelho, José Bento Filho, padre Luciano F. Pacheco, Gilberto Pedro Franco, João Bellintani, Jorge Corrêa por Herculano Corrêa de Assunção e Joaquim Martins de Lara, João de Almeida Leite Moraes e José de Arruda Campos.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
A Comissão recém-nomeada adquiriu do senhor José Inocêncio da Costa, então proprietário das terras, onde futuramente se ergueria a nova Vila, dez alqueires de terras por um conto de réis, e fez doação das terras para a fundação da nova povoação. Antes, pelo senhor Joakim Gabriel de Carvalho, foi erguido um Cruzeiro no meio do largo. Adquirindo o patrimônio, marcou-se o local onde se ergueria a Capela, dedicada ao Senhor Bom Jesus das Palmeiras, nome esse com que foi batizada a Vila recém-fundada. A primeira pessoa a construir casa na nova Vila foi o senhor Ângelo Maccagnan. Os irmãos Maccagnan, vindos de Américo Brasiliense, estabeleceram-se com um bom armazém, onde havia de tudo. Esse acontecimento causou satisfação porque não havia mais necessidade da população ir à cidade (Araraquara), para fazer compras. Devido à febre amarela, que, na ocasião, grassava em Araraquara, muitas famílias vieram estabelecer-se aqui, na nova povoação, que tomou impulso, devido à boa vontade e dedicação do senhor Teófilo Dias de Toledo, que era um homem culto e muito relacionado em Araraquara, onde contava com amigos e parentes, e hoje, ele pode ser considerado o fundador desta cidade.

CONSTRUÇÃO DA PRIMEIRA CAPELA
Logo depois, em fins do ano de 1894, foi iniciada a construção da Capela,sendo que o senhor Joakim Gabriel teria ido procurar um bom carpinteiro, seu conhecido, para trabalhar na construção. Logo que a igrejinha ficou pronta, o senhor Antônio da Silva Coelho, foi a Araraquara, buscar a imagem do padroeiro, Senhor Bom Jesus, que foi trazida num carro de bois, acompanhada por ele, a cavalo. O carro parou pouco antes da povoação. A imagem foi descida e colocada em um andor, sendo levada em procissão até a igrejinha. As alfaias e paramentos, da mesma foram doados pelo senhor Antônio Lourenço Correa pessoa digna, e de influência em Araraquara. O rico hostensório de prata dourada existente na igreja deve ter sido doado por ele, que foi o primeiro fabriqueiro da Capela. No dia 25 de março de 1895, (data essa que pode ser considerada como a da fundação da antiga Vila do Senhor Bom Jesus das Palmeiras, e atual cidade de Matão), foi, pelo Vigário de Araraquara, benzida a igrejinha, a imagem do Bom Jesus e celebrada a primeira Missa. Houve três casamentos e alguns batizados. Foi um dia de Festa. Daí em diante, o mesmo Sacerdote vinha, mensalmente, celebrar Missa, aqui.
Em 1898, foi ao povoado elevado à categoria de paróquia, sendo seu primeiro pároco o Padre Miguel Rufo. No início do mês de fevereiro de 1901, foi lançada a pedra fundamental da primeira Matriz, que só foi concluída em outubro de 1928, pelo Padre Francisco Garaude, de saudosa memória. A Providência Divina recompensou a fé do senhor Augusto dos Santos, que chegou a ver, como desejou, não só uma povoação, como uma bela cidade!
Fonte: Texto acima, extraído da Carta escrita por, Dona Ignês da Silva Coelho, em 01/12/1970.

ORIGEM DO NOME
Nomes Anteriores:
- Campo de Água Vermelha.
- Arraial do Senhor Bom Jesus das Palmeiras.
Nome Atual:
- MATÃO – Nome esse que teve origem devido à existência de matas, muito densas e de alto porte.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
A convergência cada vez maior de colonos para a cultura das excelentes e fertilíssimas terras, e outras pessoas para estabelecerem se com casas de comércio e indústrias,exigiu a elevação do novo arraial a Distrito de Paz, o que veio ocorrer através do Decreto Lei Estadual nº 499, em 07 de maio de 1897, com a denominação de MATÃO, e com as mesmas divisas anteriores. Demonstrando o grande interesse despertado pela nova Vila, ainda em 1897, aqui chegou o traçado da futura Estrada de Ferro, sendo que seus trilhos chegaram ao local da futura Estação, em fins de 1898.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
Coroando os trabalhos fecundos de políticos daquela época, através de projetos apresentado e defendido pelo então Deputado Estadual Dr. Francisco de Toledo Malta, o Distrito de MATÃO foi elevado à categoria de Município, desmembrado do município de Araraquara, através do Decreto Lei Estadual nº 567, de 27de agosto de 1898. Sua instalação ocorreu em 28 de março de 1899, dia em que tomou posse à primeira Câmara Municipal, constituída pelos senhores Vereadores: Dr. Leopoldino Martins Meira de Andrade,Capitão Theófilo Dias de Toledo, Capitão Ottoni Corrêa, Farmacêutico Cairbar de Souza Schutel, Tenente José Pio Corrêa da Silva, sendo suplentes os senhores, Emílio D´Agostino, Tenente Paulo do Amaral Sampaio, Antônio Kfouri, Amador Cândido Rodrigues, Capitão Christovam Corrêa de Arruda, Francisco Pires Fleury e Major Mathias Dias de Toledo. O Farmacêutico Cairbar de Souza Schutel ocupou o cargo de Intendente nessa primeira Legislatura.

REGISTROS DO HISTORIADOR – LINHA DO TEMPO
Em 25 de março de 1899, foi oficialmente inaugurada à Estação Ferroviária da E.F. Araraquara. Aos 23 de março de 1900 foi iniciada a construção do Hospital, então denominado de Isolamento e Cemitério, e ainda foi criada a Coletoria Estadual de Matão. No dia 29 de dezembro de 1900, foi inaugurada a então denominada Estação Ferroviária de Santa Josefa (hoje Silvânia) e ainda em 1900, foi construído o Matadouro Municipal. Foi fundado em 1901, o primeiro jornal local “O Município de Matão” - sob a direção do senhor João Silveira. Em 02 de abril de 1801, foi inaugurada a Estação da Vila de Dobrada, e em 01 de agosto de 1901, foi criada a Escolas Reunidas (futuro Grupo Escolar) sendo que ainda em 1901, foi iniciada a construção da Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus, posteriormente demolida, e no mesmo local foi erguida uma nova Matriz de linhas modernas. Pela Lei Estadual nº 1.038, de 19 de dezembro de 1906, a sede municipal recebeu foros de cidade. A primeira entidade social matonense fundada foi a Sociedade Italiana em 12/09/1908, organizada por elementos da colônia italiana local, e, em 16/09/1908, foi iniciada a construção do ramal ferroviário da Estrada de Ferro Araraquara, da Estação Santa Josefa (hoje Silvânia) a Tabatinga, ramal esse que pelo projeto inicial deveria partir desta cidade. Em 1909 foi construído o prédio próprio da Câmara Municipal, o qual foi depois aumentado e inaugurado oficialmente em 1912. Também em 1909 foi construída a Cadeia Pública, e foi inaugurado o serviço telefônico, vindo da cidade de Araraquara, sendo que as linhas telefônicas foram depois estendidas até as Vilas de Dobrada e São Lourenço do Turvo, em 01/04/1910 e 01/05/1911, respectivamente. Deu-se em 11de março de 1911, a inauguração do novo Grupo Escolar (atual Grupo Escolar José Innocêncio da Costa), passando logo depois a funcionar a primeira Santa Casa local, no prédio até então ocupado pelas Escolas Reunidas (primeiro Grupo Escolar local). De acordo com a nova divisão administrativa do país de 1911, o até então único Distrito de Matão, foi dividido entre três distritos de Paz: o da Sede, o de Dobrada e o de São Lourenço do Turvo, pelas Leis nº 1.295 e 1.299, de 27/12/1911. Daí então foi iniciada a luta pela emancipação judiciária. Em 1912, foram inaugurados os serviços de Força e Luz, Água e Esgoto, e foi fundada em 08 de dezembro de 1912, pelo maestro Venâncio Cariani, coadjuvado pelo senhor Ettore Vicentini,a famosa Banda Infantil que tanto sucesso fez naquela época. Ainda em 1912, foram inaugurados os serviços de força e Luz, matadouro e cemitério de Dobrada, e cemitério e matadouro em São Lourenço do Turvo.
Em 08/03/191, foi efetuada a inauguração do Jardim Público, hoje Praça do Rio Branco, e foi também instalada a força e luz no distrito de São Lourenço do Turvo. Através do então Deputado Estadual Dr. Hilário Freire, foi apresentado em 1923, à Assembleia Legislativa Estadual, o primeiro projeto de criação da Comarca de Matão, sem resultados práticos. O primeiro estabelecimento bancário instalado nesta cidade foi, Bancários Irmãos Malzoni & Cia inaugurada em 01/07/1927. Em 12/12/1937 deu-se inauguração do Hospital de Caridade de Matão, construído sob a inspiração da saudosa senhora Dona Sinharinha Frota, e direção do emérito matonense senhor Francisco Malzini. Em 1940 foi iniciado o calçamento das ruas da cidade e reforma de diversos logradouros públicos. Foi fundado em 1941, o Ginásio Municipal, o qual passou a funcionar como Ginásio Estadual em 1947. Em 1948, foram fundadas a Escola Técnica de Comércio, e também a Escola Municipal, que passou para o Estado em 1949. Depois de 30 anos de lutas, este município foi elevado à categoria de Comarca de 1ª Estância, desmembrada de Araraquara, através da Lei Estadual n.º 2.456, de 30/12/1953, fazendo parte do mesmo, somente o município de Matão, e limitado se com municípios de Araraquara, Nova Europa, Tabatinga, Itápolis, Taquaritinga e Guariba. O projeto de criação da Comarca de Matão foi apresentado e defendido pelo Deputado Matonense, Dr. João Salgado Sobrinho, coadjuvado pelos Deputados José Fernandes Bertola, Padre João Batista de Carvalho e outros, e pela feliz compreensão de seus pares. A Comarca de Matão foi instalada com grandes festividades no dia 09/07/1955, pelo Juiz Titular de Direito da Comarca de Araraquara, Dr. João Pires de Camargo, que acumulou interinamente o cargo de Juiz de Direito da Comarca de Matão, durante um ano aproximadamente.Foi o primeiro Juiz de Direito Titular da Comarca de Matão, o Dr. Lauro de Almeida, e primeiro Promotor Público o Dr. Walter de Campos. Durante diversas legislaturas, nos períodos em que esteve suspenso o regime representativo municipal, o Executivo Municipal foi ocupado pelos seguintes cidadãos:
INTENDENTES: de 23/03/1899,(data da instalação do município) a 15/01/1908: Farmacêutico Cairbar de Souza Schutel,Theófilo Dias de Toledo, Dr. Leopoldino Martins Meira de Andrade,Capitão Antônio Dias de Aguiar, Major Mathias Dias de Toledo, Clementino Moreira, Capitão Ottoni Corrêa.
PREFEITOS: de 15/01/1908 à 29/10/1930 –Coronel Leão Pio de Freitas, Capitão Leopoldino Vieira Barreto, Coronel Benedito Rosa de Lima e Costa, Major Joaquim Gabriel de Carvalho e Manoel Martins de Castro. Nos dias que se seguiram à Revolução de 1930, o município foi governado por uma Junta Governativa:
JUNTA GOVERNATIVA: Bartholomeu Ferreira, Leolino Malachias e José Borgonovi, de 29/10/1930 a 05/11/1930. Durante a vigência da Ditadura, e mesmo depois de seu término, o município foi governado pelos seguintes senhores, nomeados de acordo com as Leis daquela época:
PREFEITOS: José Bartholomeu Ferreira, Aparício da Silva Coelho, Major Joaquim Gabriel de Carvalho, novamente José Bartholomeu Ferreira, Ítalo Ferreira e Armínio de Arruda, durante o período de 05/11/1930 a 31/12/1947.
No ano de 1963, o Distrito de Dobrada passou a Município, desmembrando-se de Matão, passando a constituir-se município próprio. Com a emancipação de Dobrada, as divisas de Matão sofreram alterações, passando a ser: Taquaritinga, Dobrada, Araraquara, Nova Europa, Tabatinga e Itápolis, e atualmente com a emancipação de Gavião Peixoto e Motuca, as divisas de Matão passaram a ser: Taquaritinga, Dobrada, Motuca, Araraquara, Nova Europa, Gavião Peixoto, Tabatinga e Itápolis.
Fonte: Textos Extraídos do Livro – Uma História Para Matão
Autor: Azor Silveira Leite

GRUPO ESCOLAR DE MATÃO – E.E. “JOSÉ INOCÊNCIO DA COSTA” 11/03/1911 À 11/03/2011 – 100 ANOS DE HISTÓRIA
Em 100 anos de glória, desde sua criação em 11 de março de 1911, e de sua inauguração oficial em 1913. O Grupo Escolar, popularmente chamado de “GRUPÃO”, teria muita história para contar, pois praticamente toda criança de nossa “Terra da Saudade” passou pelas suas inesquecíveis dependências. A pedido do Prefeito Municipal da época, José Bartolomeu Ferreira,ao Governo do Estado de São Paulo, foi publicado o Decreto nº 16.720, passando a denominar-se “Grupo Escolar José Inocêncio da Costa”. Consta que, José Inocêncio da Costa nasceu em Araraquara e adquiriu uma extensa área de terra, denominada Fazenda Matão. Futuramente vendera parte da propriedade, praticamente toda área central de nossa cidade. O mesmo veio a falecer em 13 de fevereiro de 1978. Também teve o privilégio de passar pelos bancos escolares do nosso “Grupão”. O projeto do prédio, de autoria do arquiteto José Var Humbeeck, segue a tipologia denominada “São Pedro”, com 4 salas para meninos, e 4 salas para as meninas. O eixo da implantação coincide com o eixo da Igreja Matriz e da Praça principal da cidade, caracterizando um eixo urbanístico de simetria na área central da cidade. O professor historiador, e também ex-aluno Azor Silveira Leite, explica: “Naquele tempo, somente os meninos eram mandados à escola. Por influência dos imigrantes italianos, as meninas eram educadas em casa pelos pais, ou professores autodidatas que as acompanhavam. Os fazendeiros adotaram este sistema também para seus filhos”. Somos uma escola tradicional, que sempre se preocupou em incutir valores, tão esquecidos na atualidade. Durante esse tempo, temos aprendido que só é possível conquistar e alcançar sucesso através de valores sólidos, muito trabalho, disciplina, dedicação e talento das pessoas que vêm nos ajudando a construir essa história. O grupão, apesar de sua tradição, prima por oferecer aos alunos e professores, os mais modernos veículos que estimulam a aprendizagem dos seus alunos. GRUPÃO – há um século fazendo a história do povo matonense.
Autoras do Texto: Regina Aparecida Ferraz Vendramini eJosuêma Antônia Pinotti de Toledo – Diretora e Vice Diretora, respectivamente.
Gentílico: Matonense

 

GALERIA DE PREFEITOS

 

CAIBAR DE SOUZA SCHUTEL 28/03/1899 à 07/10/1899
THEOPHILO DIAS DE TOLEDO 07/10/1899 à 18/08/1900
CAIBAR DE SOUZA SCHUTEL 18/08/1900 à 15/10/1900
DR. LEOPOLDINO MEIRA M. ANDRADE 15/10/1900 à 04/08/1901
OTTONI CORREA 04/08/1901 à 19/10/1901
MAJOR MATHIAS DIAS DE TOLEDO 19/10/1901 à 07/01/1902
LEOPOLDO CLEMENTINO MOREIRA 07/01/1902 à 02/08/1902
MAJOR MATHIAS DIAS DE TOLEDO 02/08/1902 à 02/09/1902
LEOPOLDO CLEMENTINO MOREIRA 02/09/1902 à 07/01/1904
MAJOR MATHIAS DIAS DE TOLEDO 07/01/1904 à 30/10/1907
CAPITÃO ANTÔNIO DIAS DE AGUIAR JR. 30/10/1907 à 15/01/1908
LEÃO PIO DE FREITAS 15/01/1908 à 15/08/1915
CAPITÃO LEOPOLDO VIEIRA BARRETO 15/01/1916 à 15/01/1917
BENEDICTO ROSA DE LIMA E COSTA 15/01/1917 à 02/07/1917
MAJOR JOAKIM GABRIEL DE CARVALHO 02/07/1917 à 15/01/1923
BENEDICTO ROSA DE LIMA E COSTA 15/01/1923 à 15/01/1924
MANOEL MARTINS DE CASTRO 15/01/1924 à 19/10/1930
JOSÉ BARTHOLOMEU FERREIRA (JUNTA GOVERNATIVA) 19/10/1930 à 05/11/1930
JOSÉ BORGONOVI (JUNTA GOVERNATIVA) 19/10/1930 à 05/11/1930
LEOLINO MALACHIAS (JUNTA GOVERNATIVA) 19/10/1930 à 05/11/1930
JOSÉ BARTHOLOMEU FERREIRA 05/11/1930 à 13/04/1931
APARÍCIO DA SILVA COELHO 13/04/1931 à 11/05/1936
APARÍCIO DA SILVA COELHO 23/05/1936 à 16/09/1938
ITALO FERREIRA 31/12/1946 à 15/04/1947
ARMÍNIO DE ARRUDA CAMARGO 15/04/1947 à 31/12/1947
DR. LEÔNIDAS CALÍGOLA BASTIA 01/01/1948 à 31/12/1951
NEWTON DE AZEVEDO CAIVANO 01/01/1952 à 31/12/1955
WALTER CICOGNA 02/01/1956 à 31/12/1959
ANTONIO NATALINO ARTIMONTE 01/01/1960 à 31/12/1963
ARMANDO BAMBOZZI 01/01/1964 à 31/01/1969
LAERT JOSÉ TARALLO MENDES 01/02/1969 à 31/01/1973
CELSO DE BARROS PERCHE 01/02/1973 à 31/01/1977
LAERT JOSÉ TARALLO MENDES 01/02/1977 à 02/05/1981
JOÃO FECCHIO 03/05/1981 à 31/01/1983
JAYME GIMENEZ 01/02/1983 à 31/12/1988
JOÃO FECCHIO 01/01/1989 à 31/12/1992
LUIZ TADEU GIMENEZ 01/01/1993 à 31/12/1996
ADAUTO APARECIDO SCARDOELLI 01/01/1997 à 31/12/2000
JAYME GIMENEZ 01/01/2001 à 31/12/2004
ADAUTO APARECIDO SCARDOELLI 01/01/2005 à 31/12/2008
ADAUTO APARECIDO SCARDOELLI 01/01/2009 à 31/12/2012
JOSÉ FRANCISCO DUMONT 01/01/2013 à 31/12/2016
JOSÉ EDINARDO ESQUETINI 01/01/2017 à 31/12/2020

OBS.: O Sr. CAIBAR DE SOUZA SCHUTEL, foi o primeiro prefeito de Matão.

 





Acervo Digital

Com a ajuda de vários colaboradores reunimos um acervo de fotos antigas desta cidade. Caso você tenha fotos antigas desta cidade, contribua conosco, enviando-as para o e-mail: contato@memorialdosmunicipios.com.br

Clique nas imagens abaixo para aumentá-las:

Faço parte dessa história
Empresas que fazem parte da história desta cidade.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site. Ao navegar pelo site, você autoriza o nosso site a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas , acesse nossa Política de Privacidade.
Entendi.