Santo Antônio do Aracanguá

Santo Antônio do Aracanguá



Santo Antônio do Aracanguá



Santo Antônio do Aracanguá



Santo Antônio do Aracanguá



Santo Antônio do Aracanguá - Vila Lunardi Campinas




Memorial

Santo Antonio do Aracangua
Santo Antonio do Aracangua
Vila Lunardi Campinas

Prefeitura Municipal de Santo Antônio do Aracanguá

Rua Doutor Pio Prado, 281
CEP: 16130-000
Fone: (18) 3639-9000
Email: comunicacao@aracangua.sp.gov.br
Site: www.saaracangua.sp.gov.br

 

 

HISTÓRICO

 

A ORIGEM
A origem do município tem início por volta de 1905, quando Aracanguá era repleta por matas virgens, indígenas e as águas do rio Tietê. Em tempos idos, quando da necessidade de se conhecer e cadastrar o território nacional, o órgão governamental competente (hoje a cargo do IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico), procede-se aos devidos levantamentos e registros. Foi então que, com o começo da construção da Estrada de Ferro que ligava Bauru a Corumbá que os primeiros passos foram dados. Por volta de 1908, dá- se início a abertura da Estrada ou Ramal de Lussanvira, no trecho entre Araçatuba e Itapura. Então, após o rompimento dos obstáculos encontrados naquela época, e também os conflitos com os índios que ali habitavam, no ano de 1910, o primeiro vagão é inaugurado às margens do rio Tietê, na altura de Salto das Cruzes. Com a passagem da Estrada de Ferro, constituíram se as Estações, destacando especialmente a construída à margem esquerda do rio Tietê, na confluência com o Ribeirão do Aracanguá, recebendo então a denominação de Estação Aracanguá.  Esse trecho mais tarde, ao passar a referida Estrada de Ferro para os domínios da Rede Ferroviária Federal S/A, foi abandonado, pois teve seu curso desviado no rumo de Guararapes, Andradina e Três Lagoas, como é ainda hoje.

ORIGEM DO NOME
Segundo conta os antigos desbravadores destas terras, quando aqui chegaram, eles notaram que aqui proliferava abundantemente inúmeras aves, melhor dizendo, papagaios, de uma variedade que tinha a cabeça vermelha. Estudando-se melhor as cercanias, conhece-se uma tribo indígena que habitava a região, de nome Caingangue, e segundo a língua desses índios, os referidos papagaios eram chamados de ARACANGUA. Como havia um ribeirão que cortava essas terras, adotaram esse nome, registrando-se assim com o nome de Ribeirão de Aracanguá, e posteriormente também, o nome do município.
Nota: Por coincidência, ainda hoje um grande grupo de aves dessa família (Maritacas-Tiribas) visitam periodicamente durante suas migrações, o município, estacionando por vários dias e pernoitando nas árvores da Praça Central.

ORIGEM DO NOME II
Mais tarde, por estar situado entre exuberantes Matas Nativas, o já promissor povoado ficou conhecido como PATRIMÔNIO DA MATA.
Porém, quando da elevação do povoado a Distrito, teve seu nome alterado para MAJOR PRADO.
Em 28 de fevereiro de 1964, através do Decreto Lei Estadual nº 8092, o Distrito de Major Prado, tem seu nome alterado, e passou a denominar se SANTO ANTÔNIO DO ARACANGUA.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
Após romper os obstáculos e os conflitos com os índios Caingangues, finalmente em 1909, o primeiro vagão da estrada de ferro atinge as margens do Rio Tietê, a poucos metros da confluência com o Ribeirão Aracanguá, e ali é fundada a Estação Ferroviária, que por sua vez, também é denominada de Estação Aracanguá, a partir de então, essa região ficou conhecida por ARACANGUA. E é exatamente nessa época que chegam os primeiros pioneiros da região com suas famílias, onde dedicamos atenção especial a aqueles que transpuseram as águas do rio Tietê e aprofundaram-se no sertão da margem direita do rio, abrindo as primeiras trilhas, mais tardes caminhos, e começaram a colonizar as terras como posseiros, onde destacamos os primeiros colonizadores, que foram: Manoel Joaquim Calácio, João Eugênio, Porfírio Venâncio Pires e Severino e Pedrinho de Souza Ferreira, mais conhecido por Ferreirinha.
Foi por volta de 1915, na capital paulista, que o governo do Estado realiza a entrega de grandes glebas de terras a um grupo de pessoas, a fim de que elas vendessem, demarcassem e escriturassem as novas propriedades. Ficou então nesta região, o Desembargador Thomaz Sebastião de Mendonça e sua esposa Amélia Felícia de Mendonça. Nesta época também, fundou-se a Vila Dulce, enquanto isso, paralelamente Abraão Chibene fundava a Vila Macaúba, hoje denominada de Vicentinópolis, distrito de Santo Antônio do Aracanguá.
Com o início da venda das terras cedidas pelo governo, outras pessoas passaram a tentar se apossar da gleba, até então pertencente ao senhor Thomaz Sebastião de Mendonça, acarretando então a ferrenha disputa judicial. Sua esposa, Amélia Felícia de Mendonça, que era devota de Santo Antônio e Nossa Senhora do Carmo, fez uma promessa aos seus santos protetores, para que seu esposo viesse a ser vitorioso, e que então seria doada uma área de 10 (dez) alqueires para a construção de um povoado em homenagem aos santos.
Foi em 17 de Fevereiro de 1919, com a vitória de  seu esposo, que então ela realiza a prometida doação, desmembrando a área da fazenda Macaúba, e pedindo que ali fosse formado um povoado e construído uma capela em homenagem a Santo Antônio e Nossa Senhora do Carmo, doação esta feita ao Bispado de São Carlos. A área foi desmembrada da Fazenda Macaúbas conforme acordo firmado quando da compra das terras do Dr. Pedro Junqueira de Andrade. Assim, com o acordo cumprido, consolida-se a doação, iniciando o povoado com a construção da capela em homenagem aos santos. A partir da fundação, instalam se as primeiras famílias, efetivando o desenvolvimento da vila com a estruturação dos primeiros pontos comerciais. Então por ser  Santo Antônio o homenageado, e a Estação Arancanguá a principal via de acesso do futuro povoado, inclusive através da qual chegaram às imagens dos santos, é que foi denominado de Santo Antônio do Arancanguá, nome esse registrado na escritura de doação. Nesta época, toda essa região pertencia a Monte Aprazível, enquanto que Araçatuba pertencia ao município de Penápolis.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
Em 31 de Agosto de 1934, através do Decreto Lei Estadual nº 6638, o povoado é elevado à categoria de Distrito, com a denominação de Major Prado, pertencente ao município de Monte Aprazível. Em 30 de novembro de 1938, através do Decreto Lei nº 9775, o Distrito de Major Prado foi transferido para o município de Araçatuba. Em 31 de dezembro de 1963 é publicada no Diário Oficial do Estado, a elevação da vila a condição de Distrito de Paz, com a transferência da sede do Distrito de Major Prado, para Santo Antônio do Aracanguá, vindo juntamente à sede do Cartório de Registro Civil.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
A ascensão a município veio depois de muitas lutas. Em 19 de maio de 1991, finalmente a população de Santo Antônio do Aracanguá aprova em plebiscito, com 76% no geral e 98% na sede, a sua emancipação política. Entretanto somente a 30 de dezembro de 1991, através do Decreto Lei Estadual nº 7664, o Distrito é elevado a categoria de Município, desmembrando-se do município de Araçatuba e, abrangendo em sua área territorial os bairros rurais de Major Prado e Vicentinópolis, que hoje são Distritos de Santo Antônio do Aracanguá. Todavia, a instalação efetiva do município só ocorreu em 01 de janeiro de 1993, com a posse do Prefeito, Vice-prefeito e Vereadores, eleitos no pleito de 03 de outubro de 1992, ou seja, na primeira eleição do município.

A SOLUÇÃO QUE VEM DA TERRA
A história de Santo Antônio do Aracanguá tem uma forte mistura de fé, coragem e solidariedade, sentimentos muito presentes naqueles tempos de desbravamento. Pessoas de muita fé religiosa, extrema disposição para o trabalho e vontade de ajudar foram às responsáveis pela fundação de várias cidades do interior do Estado, como bem retrata a história de Santo António. Em 1919, a família de Tomás de Mendonça tinha uma grande gleba de terra entre Araçatuba e Auriflama. Devota de Santo António, a família resolveu doar dez alqueires para a diocese de Jales, depois de ter feito uma promessa para o santo. Na área doada foi erguida uma capela e construída a Praça Nossa Senhora do Carmo. Com o loteamento da terra feito pela Igreja, cujos terrenos eram vendidos a preços simbólicos, muitas famílias começaram a aqui chegar, como as de Agenor Pereira, Alves Pena, Evaristo Nascimento e Venâncio Cardoso, entre tantas outras. O povoado que foi se formando, transformou-se em distrito de Monte Aprazível em 1934, mais tarde transferido para o município de Araçatuba, pelo Decreto nº 9775 de 30/ 11/1938. A denominação de Santo Antônio do Aracanguá se deu com a Lei nº 8092, de 28/02/1964, que transferiu a sede do distrito para o povoado de Patrimônio da Mata. O nome de Santo Antônio foi dado em homenagem à devoção da família que doou aquelas terras, e Aracanguá foi incorporado ao nome, por causa de uma espécie de papagaio que habitava a região, denominada aracanguá, na linguagem dos Índios Caingangues, que ali viveram. Mas a população queria mais, queria sua independência de Araçatuba, pois dada a sua grande extensão territorial, o município-sede não tinha condições de atender a todas as necessidades do distrito. Assim, logo começou o movimento pela sua emancipação. Mas as condições da época não eram favoráveis à realização desse anseio, porque a lei então vigente impunha diversos obstáculos para que os distritos se emancipassem. Tanto é que todos os pedidos formulados junto à Assembleia Legislativa, desde 1981, foram todos arquivados. Somente em 1990, com a mudança na lei, o movimento pela emancipação de Santo Antônio do Aracanguá se fortaleceu, sendo organizado por Sizenando Busto (falecido), José Rodrigues Servino, João Aparecido Franco, Constancio João da Costa, Itamar Bistaffa, Evaristo Francisco do Nascimento e Luís Apolinário Vilela. A adesão dos moradores foi grande e constantemente a comissão ia a São Paulo acompanhar o processo de criação do município que, finalmente aconteceu, em 30 de dezembro de 1991, com a promulgação da Lei nº 7.664. Um dos líderes do movimento, João Aparecido Franco, afirma que com a conquista da emancipação, Santo Antônio do Aracanguá ficou independente para escolher seus legítimos representantes. Outra grande vantagem, segundo ele, foi à possibilidade dos moradores da cidade participarem diretamente da administração pública, fiscalizando os atos de seus governantes. “A emancipação trouxe melhorias rápidas em todos os setores, principalmente para a educação e a saúde”, afirma Franco. Santo Antônio do Aracanguá tem na terra seu principal meio de subsistência. Aliás, o programa de incentivo às hortas comunitárias que foi lançado de forma pioneira, é uma demonstração da criatividade daquela comunidade, para o total aproveitamento da terra como fonte de alimentos para a população carente. Tem até concurso para escolher a horta mais bem cuidada. E a ideia é simples: cada família usa o quintal de casa para fazer uma horta. A prefeitura cede às sementes e a orientação técnica. A família que se interessar no programa se inscreve na prefeitura e automaticamente ganha isenção do pagamento da taxa de água. Nas hortas tem de tudo: tomate, cenoura, alface, repolho, dentre outros, e as famílias que cuidam bem de suas hortas ganham vários prêmios, que vão de tijolos e tanquinho até novilhos. A adesão à ideia é grande na cidade. Além de prêmios da prefeitura, as famílias recebem o principal que a terra bem cuidada oferece: alimento. Como na grande maioria das administrações dos novos municípios, Santo António do Aracanguá também tem investido em infra-estrutura. Mas, da mesma forma que nessas localidades, é a criatividade de sua gente, a maior fonte de recursos para a solução de seus problemas.

Os Primeiros Representantes – eleitos em 1992
PREFEITO MUNICIPAL: Roberto Junqueira de Andrade Filho, solteiro
VICE - PREFEITO: Yoshihiko Zito
CÂMARA MUNICIPAL: Vereadores – João Aparecido Franco, Antônio Carlos Barros, Donizete Elias de Barros, Mamede Luis da Silva, Dr. Gilberto Goldman, José Armando de Oliveira, Laércio Francisco Ribeiro, Natalino de Moura Nubiato e José Carlos de Oliveira Pereira.
ESTE TEXTO É DE AUTORIA DO DEPUTADO EDINHO ARAÚJO, AUTOR DA LEI 651/90 DAS EMANCIPAÇÕES.
Gentílico: Aracanguaense


GALERIA DE PREFEITOS
 

ROBERTO JUNQUEIRA DE ANDRADE FILHO 01/01/1993 à 31/12/1996
YOSHIHIKO ZITO 01/01/1997 à 31/12/2000
ROBERTO JUNQUEIRA DE ANDRADE FILHO 01/01/2001 à 31/01/2004
ROBERTO JUNQUEIRA DE ANDRADE FILHO 01/01/2005 à 31/12/2008
LUIZ CARLOS DOS REIS NONATO 01/01/2009 à 31/12/2012
LUIZ CARLOS DOS REIS NONATO 01/01/2013 à 31/12/2016
RODRIGO APARECIDO SANTANA RODRIGUES 01/01/2017 à 31/12/2020
ROBERTO DONÁ 01/01/2021 à 31/12/2024
 

OBS.: O Sr. ROBERTO JUNQUEIRA DE ANDRADE FILHO, foi o primeiro Prefeito de Santo Antônio do Aracanguá.

 

 





Acervo Digital

Com a ajuda de vários colaboradores reunimos um acervo de fotos antigas desta cidade. Caso você tenha fotos antigas desta cidade, contribua conosco, enviando-as para o e-mail: contato@memorialdosmunicipios.com.br

Clique nas imagens abaixo para aumentá-las:

Faço parte dessa história
Empresas que fazem parte da história desta cidade.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site. Ao navegar pelo site, você autoriza o nosso site a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas , acesse nossa Política de Privacidade.
Entendi.