SÃO MIGUEL ARCANJO

SÃO MIGUEL ARCANJO



SÃO MIGUEL ARCANJO



SÃO MIGUEL ARCANJO



SÃO MIGUEL ARCANJO



SÃO MIGUEL ARCANJO - Sorocaba Ipatinga




Memorial

SÃO MIGUEL ARCANJO
SÃO MIGUEL ARCANJO
Sorocaba Ipatinga

Prefeitura Municipal de São Miguel Arcanjo

Praça Antônio Ferreira Leme, 53 - Centro.
CEP: 18230-000
Fones: (15) 3279-8000
Email: protocolo@saomiguelarcanjo.sp.gov.br
Site: www.saomiguelarcanjo.sp.gov.br

 

HISTÓRICO


A ORIGEM
FAZENDA VELHA – A CONSTRUÇÃO DE UM LATIFÚNDIO
Embora a carta citada Barão de Antonina dá para data do seu conhecimento o Tte. Urias o ano de 1841, já andara nosso personagem central pelo sul da Província de São Paulo em épocas anteriores.
Assim, escrituras particulares datadas de 1836 e 1837, documentos do arquivo particular do Dr. Ricardo Gumbleton Daunt, formalizam a compra, por parte do Tte. Urias, de terras situadas hoje no município de São Miguel Arcanjo, mas então pertencentes ao distrito da Vila de Itapetininga de Nossa Senhora dos Prazeres, comarca de Itu.
Era o sitio denominado São Miguel do Turvo, compreendendo campos faxinais, matas virgens e capoeiras. Entenda-se por “campos faxinais” campos de pastagem entremeados de arvoredos esguios; e por “capoeiras” mato fino que cresceu no lugar da vegetação virgem, depois desta cortada.
Ficavam tais terras junto à barra (desembocadura) do Ribeirão da Laranja Azeda (hoje próxima à divisa oeste de São Miguel Arcanjo) e à Fazenda Velha que então possuía outros proprietários.
Ao se dizer que o Tte. Urias Nogueira de Barros foi o patriarca e fundador de São Miguel Arcanjo, não se entenda com isto que foi ele (com a sua família) o primeiro morador do local.
Ao chegar ali, primeiramente para visitar e depois para se estabelecer, já havia várias propriedades e proprietários no local. Ao seu profundo conhecer de lavrador e homem sábio aquelas terras se revelaram das melhores que tinha visto em sua longa vida.
O valor do Tte. Urias em todo este episódio que ora narramos foi o de ter primeiramente visão quanto ao valor das terras em termos de produtividade e de clima propicio à agricultura.
Em segundo lugar, de adquiri-las, juntando-as, formando um latifúndio sob um único proprietário. Em terceiro lugar, o de exercer atividades que promoveram o bom nome da região, tais como a aberturada Estrada Itapetininga – Litoral e o seu triunfo no plantio de trigo e na mineração do ouro.
Em quarto lugar, o seu rico manancial humano e  o da sua família, como se fossem um pólo de atração que arrastou para cá uma série de pessoas e de atividades que se congregaram com força para formar uma povoação.
Assim, quando o Tte. Urias chegou àquelas paragens, hoje sobejamente conhecidas pelos moradores de São Miguel Arcanjo, eram elas habitadas por pessoas como Miguel de Araújo Leme, João de Oliveira Souto, José Nunes Nogueira, Bento Vaz, Domingues Florão, Pedro Gomes, Manoel Nunes Nogueira, Joaquim Pimenta e Ângela de Oliveira, nomes que aparecem nas escrituras de compra da Fazenda Velha.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
Em meados do século XIX, povoadores fixaram-se ao longo da estrada de ligação entre o município de Sorocaba e o Sul do País, formando novas fazendas dedicadas a culturas diversas. Nessa época, ao sul de Itapetininga, um dos seus povoadores, o Tenente Urias Emígdio Nogueira de Barros, juntamente com parentes e amigos, concentrados numa extensa área, formaram o antigo Bairro FAZENDA VELHA, integrando-o ao município de Itapetininga.
Em 12 de maio de 1877, quando ainda o tenente Urias estava vivo, justamente no ano da morte de Dona Maria Bárbara de Jesus, a Lei Provincial de nº 58 elevou a povoação de São Miguel Arcanjo à Freguesia. Diga-se de passagem que Freguesia era no tempo do Império o título oficial que se dava a uma povoação em reconhecimento a determinado grau de progresso, visto ainda muito sob o ponto de vista eclesiástico, isto é, uma povoação que por sua importância já podia ter um padre a assisti-la, permanentemente.
O grande desenvolvimento sócio econômico desta localidade, iniciou-se com o cultivo do algodão, que saía da roça para descaroçamento na cidade em beneficiadoras de origem Nacionais e Estrangeiras que, já na década de 1920, somavam vinte estabelecimentos. Segundo relatos de alguns, essa foi talvez, a fase mais rica do município.
- O PATRIARCA:
O Tenente Urias Emygdio Nogueira de Barros foi quem, mudando-se para o Bairro da Fazenda Velha de Itapetininga, aglutinou em torno de si, de sua personalidade, de sua família e de sua obra, o contingente populacional e social necessário á formação de uma Vila. Plantou a semente e acompanhou o crescimento da planta até tornar-se árvore e em torno desta formar-se considerável bosque.
Deve ser considerado, indiscutivelmente, o fundador de São Miguel Arcanjo.
- A INSPIRADORA:
Dona Maximina Ubaldina Nogueira Terra, viúva do senhor Miguel dos Santos Terra, por tradição, foi inspiradora da obra religiosa que cercou a Capela consagrada á São Miguel Arcanjo, núcleo da atual cidade. Deixou uma enorme descendência que veio a contribuir para o progresso do local.
Ela deve ser considerada colaboradora na fundação de São Miguel Arcanjo.
- A DOADORA:
Dona Tereza Augusta Nogueira Teixeira, viúva do Alferes Joaquim José Teixeira foi quem, em gesto de desprendimento, doou oficialmente uma considerável gleba para o patrimônio da Capela de São Miguel Arcanjo.
A atual cidade repousa justamente sobre essa área de aproximadamente 25 alqueires. Não deixou descendentes.
Ela é por direito coautora da fundação da cidade.  

ORIGEM DO NOME
A história deste município tem a ver tanto com as lendas quanto com acontecimentos reais.
Conforme textos históricos, durante a Revolução Constitucionalista de 1932, o bairro da Fazenda Velha, que originaria o atual município, estava ameaçado de ser destruído por tropas provindas do sul do País. Até aqui a história confirmaria o caso. Acrescenta-se, porém, que São Miguel Arcanjo, pessoalmente, teria descido dos céus para proteger o lugarejo, com o que não teria havido o esperado bombardeio. Com ou sem a lenda, o fato teria originado o topônimo (nome) do município.
São Miguel Arcanjo, antes de se emancipar, como vila, era freguesia do atual município de Itapetininga.

O PADROEIRO SÃO MIGUEL ARCANJO
Há, no calendário cristão dois dias sob a invocação do Arcanjo São Miguel: o dia 08 de maio e o 29 de setembro. Fomos buscar explicações e esclarecimentos sobre o fato no livro “Os Santos do Amor”, do Padre Campos Góes. Assim o autor explica: “Foi São Miguel quem, segundo as Escrituras, chefiou as milícias celestes contra Lúcifer e os maus anjos que se revoltaram contra Deus”. O nome do Arcanjo Miguel significa: “Quem com Deus”. Na verdade, é um brado de luta com que reuniu em torno de si os Anjos fiéis.
Representa-se São Miguel como um belo jovem, pisando a cabeça de um dragão que, transpassa com a sua lança. São Miguel é honrado como protetor especial da igreja contra os ataques do demônio.
A festa de 8 de maio foi instituída para comemorar uma aparição do Arcanjo no monte Gargano, no antigo reino de Nápoles, na Itália. No ano de 492, um homem chamado Gargano, apascentava seus rebanhos e um touro se embrenhou montanha acima. Depois de muita procura, foi encontrado dentro de uma caverna. O pastor atira-lhe uma flecha, mas a mesma, em vez de atingir o alvo vem ferir o próprio atirador.
Diante do fato, tão estranho quanto maravilhoso, foi consultado o bispo do lugar mais próximo. O prelado determina três dias de jejum e orações. No fim de três dias, o próprio Arcanjo indica ao bispo de Sponto a gruta onde o touro se havia ocultado, dizendo-lhe que esse lugar devia ser consagrado ao culto de Deus e de seus anjos. Acompanhado do clero e do povo o bispo se dirige à gruta em forma de igreja, onde celebra os santos mistérios, no meio de assistência numerosa.
Nesta gruta foi ereto um magnifico templo, onde a Providência divina tem operado muitos milagres. O dia da dedicação desta Basílica, construída por ordem e em honra do glorioso Arcanjo, no mesmo lugar da aparição, foi o dia 29 de setembro.
Ficou sendo este dia aquele em que se honram todos os anjos e a São Miguel Arcanjo, seu chefe e modelo na luta contra os maus anjos. Como se sabe, os anjos,  
Segundo a religião católica romana, estão divididos em três hierarquias e cada uma destas em três coros, a saber: a primeira, a menor, Serafins, Querubins e tronos; a segunda, média, as dominações, virtude e potestades; a terceira e maior, os principados, arcanjos e anjos. O Arcanjo São Miguel não é somente considerado o príncipe dos anjos, mas também das lamas que devem preencher os lugares deixados vazios pela queda dos anjos. São Miguel teve, no Velho Testamento as seguintes aparições: susteve a espada de Abraão, prestes a imolar o filho Isaac; no cerco de Jericó, apareceu a Josué e entregou-lhe a cidade; dirigiu a Arca de Noé em meio ao dilúvio; foi quem lutou contra Jacó e depois o abençoou. Sobre o Sinai, entregou a tábua da lei a, Moisés, São Miguel Arcanjo tem sido um dos principais instrumentos de Deus. Os outros Arcanjos são: Gabriel, que significa “Fortaleza de Deus” e de sua bondade e poder Rafael; “Medicina de Deus”.
Não poderia ter um Padroeiro mais representativo, o Município que então nascia.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
Em 12 de maio de 1877, o bairro da Fazenda Velha foi elevado à categoria de Freguesia através da Lei Provincial número 58, pertencente ao município de Itapetininga, com a denominação de São Miguel Arcanjo.
 
CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
Em 01 de abril de 1889, através do Decreto Lei Provincial nº 86, o Distrito foi elevado à categoria de Município, desmembrando-se do município de Itapetininga, sede do antigo distrito de São Miguel Arcanjo.  Sua instalação verificou se em 30 de outubro de 1889, que passou a ser constituído do distrito sede. Em 19 de dezembro de 1908, através do Decreto Lei Estadual número 1038, foi elevado a condição de cidade, com a denominação de São Miguel Arcanjo.

PRIMEIRO CICLO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO
Quando da Segunda Guerra Mundial, a Inglaterra, principal consumidor, deixou de adquirir o algodão São-Miguelense, os inúmeros proprietários destas lavouras abandonaram o seu cultivo, passando então à exploração da madeira para carvão, de grande importância para a economia local. No entanto, outra base econômica, na época, foi a cultura de batatas, iniciada pelos primeiros imigrantes japoneses, logo após a Segunda Guerra.
Neste período, vindo da Itália, o Comendador Dante Carraro, adquiriu grande área de terra e introduziu o plantio do trigo. Logo depois as culturas aumentaram e o trigo tornou- se slogan de bancos nas praças da cidade.
Com a morte do comendador Dante Carraro, sua família abandonou essa cultura, dedicando-se à pecuária.

HOMENAGEM AO PADROEIRO DA CIDADE
A festa do padroeiro da cidade, São Miguel Arcanjo, acontece no dia 29 de setembro, data em que a Igreja Católica celebra o dia dos Arcanjos. A Igreja Matriz de São Miguel Arcanjo foi elevada ao grau de Santuário Diocesano em 21 de setembro de 2013, com missa solene presidida pelo Bispo Diocesano de Itapetininga – Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, o que contribuiu para atração de muitos turistas e fiéis que vem até os pés do Arcanjo, para pedir e agradecer pelas graças alcançadas.  No dia do Padroeiro, dia 29 de setembro, milhares de fiéis de vários Estados brasileiro e até mesmo do exterior, vem em direção ao Santuário para esta grande comemoração.

INSTALAÇÃO DA BASÌLICA MENOR
No dia 11 de janeiro de 2016, foi comemorado os 130 anos da Instituição Canônica da Paróquia São Miguel Arcanjo, que foi antecedido por um tríduo que contou com várias atrações.
Dois anos após, no dia 25 de maio de 2018, recebe do Vaticano o título de BASÍLICA MENOR, ou seja, uma igreja papal que oferece graças especiais.
No dia 01 de setembro de 2018, ocorreu a celebração da missa solene de instalação da Basílica presidida pelo Bispo Diocesano de Itapetininga, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto, com as presenças e concelebrada por Dom Júlio Endi Akamini, Arcebispo de Sorocaba e Dom Arnaldo Cavalheiro, Bispo de Itapeva.
A Basílica Menor de São Miguel Arcanjo vem se adaptando ao crescimento de fiéis, que a cada ano que passa, cresce cada vez mais. No atual paroquiato do Reitor Márcio Giordany Costa de Almeida, a Basílica vem se expandindo em prol do conforto dos fiéis; hoje, o complexo conta com uma Secretaria Paroquial, o “Espaço Devotos de São Miguel Arcanjo” com loja e cafeteria, velário, banheiros e o Museu “Cônego Francisco Ribeiro”, que abriga o acervo da Paróquia dos últimos 130 anos, e uma sala de Milagres, com o testemunhos dos devotos que alcançaram suas graças pela intercessão de São Miguel Arcanjo.

A CHEGADA DA UVA-ITÁLIA
Na década de 1950, a família de Massuto Fujiwara trouxe para o município mudas de Uva-Itália, que se tornaram, mais tarde, a principal economia da cidade.
O senhor Massuto Fujiwara foi o pioneiro na plantação de uvas dessa espécie neste município. Até alguns anos atrás, a Festa da Uva é comemorada no Recinto de Exposição que leva o nome do pioneiro, porém às fortes chuvas que ocorrem nessa época, fez com que o local de comemoração fosse realocado por duas vezes, retornando assim para o seu local de origem, o Recinto de Exposições.
A Festa da Uva se dá sempre no período da safra desta fruta que ocorre nos meses de fevereiro e março.
Desde o ano de 2006, que o município é considerado “CAPITAL MUNDIAL DAS UVAS FINAS”
Denominação promocional – “Capital da Uva Itália”.

O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
A sustentação econômica de São Miguel Arcanjo baseia-se na agricultura e pecuária, destacando-se o cultivo da Uva Itália, Niágara, Rubi e Benitaka.
O município tem diversificado sua produção, plantando 14 espécies diferentes de árvores frutíferas, entre elas: caqui, goiaba, frutas cítricas, maçã, pêssego, ameixa, nêspera, nectarina e outras.
A área cultivada com cereais vem diminuindo no município, que já foi grande produtor de trigo. Hoje se restringe ao plantio de milho, feijão e pequena quantidade em arroz e trigo. A horticultura (legumes e verduras) produzida principalmente em estufas, surge no município como fonte de renda alternativa na entre safra da uva, destacando-se também a produção de batatas.
Destaca-se na pecuária o bovino de corte, em menor escala, bovinos leiteiros, ambos produzidos em regime extensivos (no pasto) e produção intensiva (confinamento), equinos (cavalos) produzidos em haras localizados no município, sendo animais de raça e aptidões diversas. Produz-se ainda, ovos, mel, suínos etc.
O município possuí em extensão territorial uma área de 1.081 km², com cerca de 2300 a 2500 estabelecimentos rurais e aproximadamente 900 produtores exclusivamente na produção de uvas, especialmente a uva Itália, sendo grande parte desses produtores de origem japonesa, com demanda para o mercado do interno e exportação para a Europa e América do Norte. A previsão de safra anual é de 5 a 6 milhões de caixas de 6Kg, na colheita que ocorre entre os meses de janeiro e março.
O município de São Miguel Arcanjo não dispõe de investimentos no setor industrial, dependendo exclusivamente da agricultura, tornando-se um município essencialmente agrícola.
Fonte:
- Texto parcialmente extraído da Obra - RESGATE - São Miguel Arcanjo.
Autor:
-  Ariosto Salvador Araújo.
Fotos:
- Em Preto e Brancas extraídas do Facebook, da página e Acervo do Jornalista e Antropólogo - Orlando Pinheiro.
- Fotografia de Erika Okaeda.
Realização:
- Secretaria Municipal de Turismo e Cultura.
- Aelson de Mattos Apolinário – Secretário Municipal de Turismo e Cultura -  
Apoio:
- Prefeitura Municipal de São Miguel Arcanjo.
Gentílico: São-miguelense.

GALERIA DE PREFEITOS

JOSÉ LEME BRISOLLA 1889
JOÃO ALFREDO LEME BRIZOLLA 1890
MANOEL FOGAÇA DE ALMEIDA 1891
JOSÉ BORGES VIEIRA 1892
SIZINIO DEOCLÉCIO OLIVEIRA E SILVA DESDE 29 DE NOVEMBRO DE 1893
SIZINIO DEOCLÉCIO OLIVEIRA E SILVA 1894 A 1896
ANTÔNIO MARIANO DE OLIVEIRA FROIS DESDE 18 DE JULHO DE 1896
ANTÔNIO MARIANO DE OLIVEIRA FROIS DEMITE-SE EM 19/06/1897
MANOEL JOAQUIM DE OLIVEIRA PRESTES DESDE 03 DE JULHO DE 1897
MANOEL JOAQUIM DE OLIVEIRA PRESTES 1898
PEDRO GALVÃO NOGUEIRA 1899 A 1900
JOAQUIM LEONEL MONTEIRO 1901
PEDRO GALVÃO NOGUEIRA DESDE 28 DE FEVEREIRO DE 1901
FRANCISCO ALCINDO MONTEIRO DESDE 07 DE JANEIRO DE 1902
JOAQUIM LEONEL MONTEIRO DESDE 22 DE ABRIL DE 1902
AUGUSTO MENDES FERREIRA 1903
NÃO FORAM ENCONTRADOS DADOS ENTRE OS ANOS DE 1904 A 1909
ANTÔNIO FOGAÇA DE ALMEIDA 1910
JOÃO PAULINO DA SILVA 15/01/1910 A 14/01/1911
JOÃO BORGES DA SILVA 15/01/1911 A 14/05/1911
LEONTINO ARANTES GALVÃO 15/05/1911 A 06/01/1912
ANTÔNIO ALVES MACHADO 07/01/1912 A 14/01/1913
ANTÔNIO TERRA 15/01/1913 A 14/01/1914
JOÃO PAULINO DA SILVA 15/01/1914 A 14/01/1915
ANTÔNIO TERRA 15/01/1915 A 14/01/1916
JOSÉ DOS SANTOS TERRA 15/01/1916 A 14/01/1917
JOSÉ DOS SANTOS TERRA 15/01/1917 A 14/01/1918
ANTÔNIO TERRA 15/01/1918 A 14/01/1919
ANTÔNIO TERRA 15/01/1919 A 14/01/1920
MANOEL FOGAÇA JR 15/01/1920 A 14/01/1921
ABÍLIO FERREIRA LEME 15/01/1921 A 14/01/1922
JOÃO PAULINO DA SILVA 15/01/1922 A 14/01/1925
JOSÉ MODESTO DA SILVA 15/01/1925 A 14/01/1926
JOÃO CAVACINI 15/01/1926 A 05/07/1926
JOSÉ PAULINO DA SILVA (INTERINO) 06/07/1926 A 12/07/1926
BENEDITO ANTÔNIO DE SOUZA 13/07/1926 A 14/01/1927
JOÃO THEODORO ALVES MACHADO 15/01/1927 A 14/01/1928
BENEDITO ANTÔNIO DE SOUZA 15/01/1928 A 14/01/1929
ANTÔNIO FERREIRA LEME 15/01/1929 A 30/10/1930
EUZÉBIO PEREIRA 31/10/1930 A 04/11/1930
EDWIGES MONTEIRO 05/11/1930 A 02/01/1931
LEONTINO ARANTES GALVÃO 03/01/1931 A 04/05/1931
EDWIGES MONTEIRO 05/05/1931 A 10/07/1932
LEONTINO ARANTES GALVÃO 11/07/1932 A 19/11/1932
JOSÉ DOS SANTOS TERRA 20/11/1932 A14/11/1933
EDWIGES MONTEIRO 15/11/1933 A 11/04/1935
NESTOR FOGAÇA 12/04/1935 A 14/01/1938
LUIZ VÁLIO 15/01/1938 A 20/05/1943
ALCIDINO FRANÇA 21/05/1943 A 09/11/1946
JOÃO PAULINO DA SILVA JR. 10/11/1946 A 14/03/1947
NESTOR FOGAÇA 15/03/1947 A 30/01/1948
ANTÔNIO FERREIRA LEME 31/01/1948 A 30/01/1952
JOSÉ ALVES MACHADO 31/01/1952 A 30/01/1956
FRANCISCO FOGAÇA 31/01/1956 A 30/01/1960
NESTOR FOGAÇA 31/01/1960 A 30/01/1964
CASSIANO VIEIRA 31/01/1964 A 10/02/1968
ALCIDINO FRANÇA 11/02/1968 A 31/01/1969
JOSÉ FRANÇA 01/02/1969 A 30/01/1973
LUIZ GONZAGA ALBACH 31/01/1973 A 31/01/1977
AGENOR FERREIRA LOPES 01/02/1977 A 06/08/1982
POLICARPO TORRELL 07/08/1982 A 31/01/1983
JOSÉ ANTÔNIO TERRA FRANÇA 01/02/1983 A 31/12/1988
POLICARPO TORRELL 01/01/1989 A 31/12/1992
LUIZ GONZAGA ALBACH 01/01/1993 A 31/12/1996
MIGUEL CAPELA 01/01/1997 A 19/07/1999
LUIZ GONZAGA ALBACH (INTERINO) 20/07/1999 A 28/09/1999
MIGUEL CAPELA 29/09/1999 A 31/12/2000
CELSO MOSSIN 01/01/2001 A 31/12/2004
VALDIR DA CRUZ ROMUALDO 01/01/2005 A 31/12/2008
JOSÉ KODAWARA 01/01/2009 A 31/12/2012
LUIZ CARLOS ARANTES DE BARBOSA 01/01/2013 A 31/12/2016
ELIAS RODRIGUES DE PAULA 01/01/2017 A 31/12/2020
PAULO RICARDO DA SILVA 01/01/2021 A 31/12/2024
OBS.:
- O SENHOR JOSÉ LEME BRISOLA FOI O PRIMEIRO PRESIDENTE DA INTENDÊNCIA (NOMEADO).
- O SENHOR JOAQUIM LEONEL MONTEIRO, FOI O PRIMEIRO PREFEITO ELEITO DE SÃO MIGUEL ARCANJO.


Faço parte dessa história
Empresas que fazem parte da história desta cidade.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site. Ao navegar pelo site, você autoriza o nosso site a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas , acesse nossa Política de Privacidade.
Entendi.